Data Driven Design: respostas precisas para um mercado complexo

Você utiliza os dados obtidos pelos seus usuários para organizar o design de seu produto ou serviço? Se o aprimoramento de seu canal com cliente for guiado por respostas positivas a essas perguntas, há grandes chances de seu negócio atrair mais leads, conversões e faturamento!

Escrito por: Equipe de conteúdos Flip

Você utiliza os dados obtidos pelos seus usuários para organizar o design de seu produto ou serviço?

Se o aprimoramento de seu canal com cliente for guiado por respostas positivas a essas perguntas, há grandes chances de seu negócio atrair mais leads, conversões e faturamento!

Por isso, entender o conceito de data-driven design é essencial para seu sucesso no mercado digital.

Então, que tal a melhorar a UX (experiência do usuário) e aumentar suas conversões? Utilizando os dados ao seu favor?

O que é Data-Driven Design?

Data-drive significa “guiado por dados”.

Por isso, os dados são peças importantes para realizar um projeto.

Com eles é possível compreender os cenários, construir hipóteses e implementar os feedback de soluções.

Entretanto, será que os dados também são importantes para que os designs sejam melhores e mais interessantes para o público?

Para ajudar a responder a essa pergunta, existe o data-driven design.

Com o Data-Driven Design, há  possibilidade de usar os dados obtidos como um guia para resolver os mais variados problemas na experiência dos usuários.

Essa técnica, como qualquer outra, não é uma fórmula mágica para ter resultados instantâneos ou infalíveis.

Mas, é uma forma de pensar como as alterações no seu design devem ser realizadas para otimizar a conversão do seu site.

E isso é feito vasculhando os dados deixados pelos usuários!

Qual foi o comportamento dos usuários quando visitam sua página, o que eles efetuaram ou não, e combinado com teste A/B para entender o que funciona melhor.

Dessa forma, sua abordagem é orientada pelos dados e você pode adaptar seus serviços às experiências e comportamento dos usuários.

Na maioria dos projetos de comunicação digital, teremos dois tipos gerais de dados: o quantitativo e o qualitativo.

Enquanto o primeiro são dados numéricos que mostram o “o que”, “quem”, “quando” e “onde”.

Os dados qualitativos são informações não numéricas que demonstram o “por quê” e o “como”.

Assim, os dados quantitativos nos dão uma escala, os qualitativos nos dão uma perspectiva.

Por isso, compreender cada dado lhe dá a oportunidade de aprimorar seus insights, a comunicação e a integração dos profissionais de Design e de Planejamento e Métricas.

Os benefícios do data-driven design para seu negócio

O data-driven design analisa informações de seus usuários, te ajuda a achar soluções para aumentar as conversões do seu negócio e proporcionar uma experiência de uso mais agradável para seus clientes.

Confira como os dados podem te auxiliar a potencializar seu canal digital!

1. Obtenha informações relevantes e organizadas.

Um dos grandes benefícios de pensar de acordo com os dados é ter conhecimento suficiente sobre seu público-alvo.

A partir disso, é possível apresentar as informações mais relevantes e da forma mais organizada possível.

Isso significa que seu público conseguirá entender seus conteúdos de forma fácil e seu sistema será intuitivo.

Tendo os dados à sua disposição, você saberá de forma mais precisa quais são as informações mais relevantes para aquele cliente e quando exibi-las.

Vale lembrar que os dispositivos utilizados também influenciam na experiência dos usuários!

 

Flip Data Analytics

Como você planeja seus objetivos? Organizando os dados ou indo pelo achismo?

 

Por exemplo, quando os clientes utilizam dispositivos móveis normalmente precisam de telas mais limpas e objetivas, já que a tela é menor do que as de notebooks e computadores de mesa.

Por isso, pense na experiência do usuário nas duas versões quando implementar o design de informações em seus canais!

Os dados são como um espelho da realidade, nos auxiliam a identificar problemas e encarar os desafios em construir experiências cada vez melhores para nossos clientes!

Desta forma, utilizar os dados para orientar o Design auxilia o profissional a desenvolver os projetos de acordo com o universo de informações apresentados para melhor atender os usuários.

2. União entre líderes e liderados

Uma liderança baseada em números é mais técnica, prazerosa e fácil de ser seguida pelos liderados.

Quando os princípios da data-driven design são seguidos, os gestores da equipe podem tomar decisões mais bem pensadas.

Com isso, o ambiente de trabalho tende a ser mais transparente e agradável para toda a equipe.

Em primeiro lugar, os colaboradores entenderão que as estratégias empresariais não são tomadas de forma precipitada e sem o devido estudo.

Em segundo lugar, essa prática é benéfica na execução das medidas. Como os funcionários sabem da importância da decisão para a empresa, eles lutarão para gerar os resultados que a empresa necessita.

Dessa forma, eles saberão que todos são importantes para o processo de decisão da equipe e que as estratégias escolhidas serão definidas apenas de acordo com os dados obtidos, e não com a preferência de um gestor.

Assim, os funcionários estarão unidos em prol dos objetivos da sua empresa.

3. Aprimora o planejamento estratégico

Embora os insights sejam interessantes para que você possa surpreender seus clientes, é necessário que suas ideias sejam respaldadas com as informações que já estão disponíveis.

Ou seja, para você fazer um bom planejamento das suas estratégias, é importante compreender como os usuários têm lidado com o seu sistema.

Por isso, analise quais são os problemas, as dificuldades e os desejos que eles têm ao navegarem nas páginas da sua empresa.

Dessa forma, sua equipe terá em mente quais são exatamente os problemas enfrentados pelos usuários.

E além disso, você terá pistas valiosas sobre os desejos das pessoas que visitam suas páginas.

Nesse sentido, os insights devem surgir após uma rigorosa análise do comportamento dos usuários em suas páginas.

Sendo assim, os dados devem estar presentes em todo o processo de decisão do projeto:

  • Na compreensão dos problemas;
  • No entendimento das melhores estratégias;
  • Nos testes para verificação do desempenho.

Como o data-driven funciona na prática?

Se você ainda não acredita que o Data Driven Design pode fazer toda diferença para sua empresa, trouxemos aqui um exemplo de como ter uma visão baseada em dados pode melhorar seus resultados.

A HDFC Red, uma empresa imobiliária indiana, enfrentou sérios problemas com a taxa de retenção das suas páginas.

Seus usuários estavam abandonando rapidamente seus conteúdos.

Dessa forma, as conversões não atingiam a quantidade desejada e não estavam alinhadas ao perfil desejado.

Com isso, a equipe de design passou a procurar soluções para o problema. O método de trabalho escolhido foi:

  • Analisar os dados com ferramentas como o Google Analytics;
  • Pesquisar sobre UX, envolvendo testes com usuários e entrevistas;
  • Processos de fidelidade baixa, esboçando e configurando hipóteses.
  • Revisões — ainda que o projeto esteja em uma fase mais adiantada, é importante procurar por pontos fracos;
  • Novas medições para verificar os resultados obtidos.

A empresa verificou que o fundo negro dificultava a leitura do menu principal e que a cor não era positiva para o seu público.

Além disso, as expressões usadas nas CTAs (chamada para ação) não eram interessantes e chamativas para os usuários.

Por isso, a cor do menu passou para uma cor clara, bem como o fundo da página.

Além disso, os CTAs foram remodelados para serem mais atrativos para o público.

Essas modificações no design foram responsáveis por uma redução de mais de 20% na taxa de rejeição da página.

Além disso, o tempo em que os usuários permaneceram na página aumentou em 70%.

Em resumo, sua empresa também pode ter resultados significativos no número de conversões. Para isso, você deverá:

  • Analisar o comportamento dos usuários na sua página;
  • Levantar possíveis problemas que têm minado a sua taxa de conversão;
  • Definir estratégias a partir dos dados levantados para solucionar os problemas;
  • Efetuar testes para validar as ações realizadas.

De que maneira o data-driven design pode melhorar a geração de leads?

Quando uma instituição considera as informações que os usuários fornecem para arquitetar e executar seus projetos, a adesão tenderá a ser maior.

Pois os clientes irão ver no seu negócio exatamente o que eles desejam e defendem.

Para os leads, especificamente, seria como encontrar o amor à primeira vista — a sensação é de que o usuário encontrou aquilo que ele realmente queria.

Além disso, a geração de leads pode ser continuamente melhorada!

Isso significa que o data-driven design não é uma ação única e esporádica na sua empresa, mas uma forma de pensar a experiência do cliente com as suas páginas.

Dessa maneira, sempre há o que melhorar nas páginas, bem como haverá testes a serem realizados, já que as necessidades e os problemas enfrentados pelos usuários são modificados com o tempo.

Quanto mais os clientes observarem que o sistema está evoluindo e correspondendo às suas principais necessidades, mais eles terão vontade de continuar fiéis à sua empresa e espalhar sua marca na internet para seus amigos e parentes.

Isso é útil para que a aquisição de leads aumente.

Vale lembrar que os estudos de caso estão longe de demonstrar como todas as páginas de qualquer segmento devem ser projetadas.

Eles servem como inspiração para provocar mudanças na forma da sua empresa pensar e, até mesmo, fornecer insights interessantes para testes.

Tome decisões com base nas informações coletadas pelo Data-Driven Design

O que realmente deve determinar quais mudanças devem ser realizadas é a vontade dos seus usuários.

Ou seja, ainda que os clientes de determinada empresa tenha aprovado uma modificação no design do site.

Isso não significa que o seu público também aprovaria as mesmas transformações.

Por isso, não despreze os testes!

Supor que seus clientes irão gostar da interface criada pode ser um grave erro.

Além de atrapalhar a experiência dos clientes, você poderá ter grandes gastos para refazer o trabalho.

Então, não importa o quanto o designer acredita que sua criação é boa, quem utilizará as criações será o público!

E a visão dele sobre o projeto é a mais importante.

Sendo assim, para criar experiências online com foco no usuário, é importante utilizar uma abordagem baseada em dados.

Ao utilizar os princípios do data-driven design, você terá a justificativa cada decisão com informações e dados disponíveis.

Assim você terá mais condições de descobrir quais são as dificuldades e os problemas deles com o seu design e poderá propor soluções.

Gostou de saber um pouco mais sobre o data-driven design e como ele pode ajudar a gerar leads?

Então, confira agora como a Flip pode ajudar sua empresa a com Data Driven Design!

Equipe de conteúdos Flip

A Equipe de conteúdos da Flip é formada por pessoas com diferentes talentos. Aqui, escrevemos sobre como o design e a tecnologia impactam em nossas vidas.
Equipe de conteúdos Flip

Últimos posts por Equipe de conteúdos Flip (exibir todos)

    Flip Lab – De 2011 até o dia de hoje.

    Faça parte da Flip. Cadastre-se em nossa Flip News.

     

    Criado com✊ por Flip + Data Experience +

    Endereço: Av. Getúlio Vargas, 1492 – 2º Andar | Savassi | Belo Horizonte

    © Copyright.

    Todos os direitos reservados à marca registrada Flip Lab. É proibida a cópia, reprodução e utilização de qualquer conteúdo deste site.

    ×